Topo
O Mundo Mudou

O Mundo Mudou

O mais importante evento de networking do mundo que você nunca ouviu falar

Daniela Klaiman

19/09/2019 04h00

Foto de Victor Habchy/Behance

Esse texto está recheado de fotos do Burning Man, um evento que começou em 1986 como um ritual dos amigos hippies, Larry Harvey e Jerry James, queimando um boneco de madeira (daí o nome) como um ato de livre expressão, e que vem crescendo absurdamente nos últimos anos a ponto de reunir hoje em dia mais de 70.000 pessoas a cada ano no meio do deserto, em Black Rock Desert, Nevada.

Black Rock City/Google Maps

Durante 9 dias uma cidade temporária, construída pelas mãos e colaboração dos burners (como são chamados os participantes), se forma milagrosamente. Trata-se de uma comunidade livre, seminua, dormindo em barracas e usando adornos num estilo meio Mad Max empoeirado, vagando em suas bicicletas e automóveis modificados pela the playa (outro nome dado ao deserto).

Victor Habchy/Behance

As principais morais do evento incluem valores de comunidade, liberdade de expressão, contracultura e o anticonsumismo, uma vez que o dinheiro não circula por lá. Não existem lojas, compras, comércios e tudo mais que envolva a experiência de um festival tradicional.

Quem for não encontrará ali bares patrocinados, pop-up stores, caixas, lanchonetes e nem funcionários para limpar os banheiros.

Stephen Greaves/Behance

E as atrações? São os próprios burners.

Eles se preparam meses antes para levar tudo que vão consumir, usar e precisar para construir e sobreviver no seu acampamento. Cada acampamento precisa oferecer algo para a comunidade e durante a estadia é só aproveitar as atrações e ofertas gratuitas de outros acampamentos que vão desde instalações de arte, dança, comidas, shows, massagens, festas, degustações de vinho, aulas de yoga, meditação, free hugs e o que mais você puder imaginar.

Chadi Younes/Behance

Mas vocês devem estar se perguntando porque eu estou contando isso para vocês?!

Porque o Burning Man não é apenas um festival. Ele foi eleito por diversos veículos como o evento mais importante de networking para business do mundo!

Victor Habchy/Behance

Todos os anos CEOs, criativos e empresários das principais empresas de tecnologia e comunicação são vistos em seus looks descomprometidos andando por lá. Entre eles, já passaram por lá Elon Musk, Jeff Bezos, Mark Zuckerberg e os fundadores da Google Larry Page e Sergey Brin.

Reza a lenda de que a contratação do ex-CEO do Google, Eric Schmidt, aconteceu há 18 anos em um Burning Man. Os fundadores da empresa teriam ficado entusiasmado com o fato de Eric ser um burner e o levaram para um "teste" no evento antes da contratação.

Foto de Victor Habchy / Behance

Lá o networking é poderoso, e não estou falando do velho formato de networking com trocas de cartões de visitas, roupas formais e crachá com o nome da firma pendurado no pescoço. Como passam muitos perrengues juntos, compartilham objetos, comida, drogas, shows, bicicletas e experiências loucas e lisérgicas, um laço de empatia se forma entre os participantes. De volta pra casa as experiências vividas se transformam em ideias que não teriam espaço em seu ambiente de rotina e os laços criados em negócios e parcerias comerciais.

Foto de Stephen Greaves / Behance

Após os nove dias, o festival se encerra num sábado a noite com o mesmo ritual de 1986, o burning man, onde uma escultura gigante de um homem de madeira é queimada junto com todas as outras estruturas e obras de arte instaladas no local. O lixo e pertences são recolhidos e a área volta a ser um deserto inabitado e imaculado como há dias. "O pó retorna à terra, assim como veio a ser."

Para quem quiser a receita para criar o evento de networking perfeito, pode se inspirar nos princípios do Burning Man.

Foto de Rodrigo Esper / Behance

Sobre a Autora

Futurista formada em tecnologia e futurismo pelo TIP – Transdiciplinary Innovation Program da Universidade de Jerusalém. Expert em Consumer Behavior and Trends Research, Pós-graduada em Coolhunting & Trends pela Universidade de Barcelona e foi diretora de Planejamento e Consumer Insights da Box1824 durante 5 anos. Consultora e palestrante nas áreas de inovação, pesquisa de mercado, desenvolvimento de produtos, comportamento do consumidor e transformação digital, atua junto a grandes empresas mostrando o que elas devem fazer para sobreviver a esse novo mundo que vivemos e mudanças rápidas. Co-fundados de 2 startups: Unpark e WinWin.

Sobre o Blog

É possível analisar o futuro por 2 ângulos diferentes: aquele mais imediato, que prevê os acontecimentos dentro de 0 a 5 anos e é estudado e aprendido através do comportamento das pessoas; e outro ângulo mais longínquo, que enxerga um intervalo de tempo de 5 a 50 anos e que é totalmente baseado no desenvolvimento e uso da tecnologia. A ideia desse blog é justamente analisar os dois futuros juntos e entender como a tecnologia vai influenciar nossas vidas e como a forma como vivemos e nossos valores influenciam a tecnologia, atingindo um balanço complexo, porém em linguagem simples e quase chula, para que todos possam começar a pensar no futuro e entender que somos nós os responsáveis por construir um cenário positivo para todos. Ou não. O futuro está em nossas mãos e é um assunto urgente de ser tratado hoje.